Aproveite e VOTE! VOTE! VOTE!

20 08 2008

Aproveitando o assunto “Mostre sua casa“, acessem as fotos da RAPÊ no site Casa.com.br e dêem sua nota, façam seus comentários.

Sala de jantar:
http://casa.abril.com.br/decorar/mostresuacasa/exibir.php?id=4564

Sala de TV:
http://casa.abril.com.br/decorar/mostresuacasa/exibir.php?id=4563

Obrigado pessoal.

Anúncios




RAPÊ: não sou eu quem está dizendo…

20 08 2008

Há uma seção no site Casa.com.br site chamada “Mostre sua casa” onde os usuários do site se cadastram e postam fotos de ambientes decorados de vossos lares. E como resultado da RAPÊ, resolvi postar as fotos das duas salas do apê: TV e jantar.

No “Mostre sua casa”, o usuário pode dar uma nota de 0 a 10 em cada foto, através de um sistema de navegação de fotos. Além disso, é permitido comentar foto por foto. E o pessoal lá manda ver, não poupa nas críticas, mas sempre rolam dicas legais além de vários elogios, claro.

Mas o curioso foi que hoje eu recebi um email do site Casa.com.br. Na verdade um comunicado, muito legal por sinal.

Nele dizia que a foto sala de jantar do apê foi escolhida dentre todas do site, para participar de uma matéria e ser comentada por uma arquiteta de renome chamada Jóia Bérgamo. Me entusiasmei e fui conferir.

Para a matéria, foram escolhidas 20 fotos. Em seu comentários, individualmente por foto, Jóia procura passar aos leitores valiosas dicas e sugere pequenas mudanças, com o provável intuito adequar cada ambiente às tendências atuais.

Parabéns pela escolha de tons. Está calmo e suave, muito agradável. Coloque dois xales com pouco pano nas janelas, bem retos, como duas tiras em tons prata envelhecida ou fendi. Aumente a moldura do quadro, coloque também no tom prata velha. Parabéns.

O comentário dado por ela para a foto da RAPÊ foi muito lisonjeiro, afinal de contas, foram poucos os parabéns.

Confira neste link o caminho para a matéria completa:
http://casa.abril.com.br/materias/salas/mt_295806.shtml?id=img7





Dicas de iluminação para seu quarto

13 08 2008
Por: Inês Godinho e Gui Marchezi Odri

O quarto está lindo, recém-decorado, mas não dá vontade de ficar nele? Esta situação é mais comum do que parece porque muita gente esquece que o ambiente mais íntimo da casa não pode ter a mesma solução de luz da sala, por exemplo. Quartos são locais para descansar, sonhar e amar. Criar uma atmosfera relaxada, cálida e luminosa depende mais de seguir algumas regras básicas do que investir em peças caras e soluções mirabolantes.   

Veja o primeiro cuidado apontado pela designer de iluminação, Luciana Constantin, da consultoria de iluminação Acenda. Ela recomenda avaliar quais são as limitações do ambiente antes de tomar providências. Questões como a altura do pé-direito, o tipo de forro (gesso, laje, madeira, inclinado…), a infra-estrutura de elétrica prevista, as cores e texturas dos materiais de acabamento precisam ser avaliadas em conjunto. Em seguida, se define o perfil de quem vai ocupar aquele espaço e quais são seus hábitos – namorar, ler, ver televisão, trocar de roupa e até trabalhar.   

Confira as situações que se adaptam a sua necessidade:

• A  iluminação geral do quarto deve ser indireta, embutida ou de sobrepor, obtida com o uso de sancas ‘invertidas’, pendentes, arandelas, luminárias de piso (chamadas de tocheiros). Eles direcionam o foco para teto e paredes e, por reflexão, iluminam o quarto com uma luz suave e difusa.

• A luz indireta também é a mais apropriada para se obter uma iluminação uniforme, pois se ajusta às diversas atividades.

• Evite no quarto a luz direta; mal-posicionada, pode causar um ofuscamento indesejado.

• Para evitar brigas de casal por causa das diferenças de hábitos, saiba que há luminárias laterais com foco direcionado perfeitas para quem gosta de ler na cama.

• Luz fluorescente branca não combina com o clima cálido que um quarto precisa ter; prefira as amarelas.

• O mesmo vale para cúpulas; as melhores são em tecido de cor clara, combinando com algum elemento da decoração, ou totalmente neutra como as de tom areia.

• Cuidado com a emissão de calor das fontes de luz utilizadas em abajures e luminárias de leitura para as cabeceiras.

• Com os quartos pequenos de hoje, ganhe espaço na mesinha de cabeceira instalando luminárias presas na parede.

• As áreas de estudo e trabalho precisam de uma luz complementar, com focos mais direcionados.

• Diferentes atividades no quarto recomendam o uso de dimmer, mecanismo que permite ao usuário o controle manual da intensidade da luz.

• Assuma o comando da luz do seu quarto. Para ligar abajures e luminárias de piso, instale tomadas comandadas, que são acionadas pelos interruptores localizados na entrada do quarto e nas cabeceiras. Isso possibilita a diminuição dos pontos de luz no teto e a integração das peças decorativas ao longo do dia, não só na hora de dormir.

• Se há espaço para uma poltrona de leitura, posicione perto de uma janela para aproveitar ao máximo a luz natural. E providencie uma boa fonte luz artificial, com foco pontual.

• Truque da ampliação de espaço e luz – aproveita a mágica do espelho e instale-o de forma a duplicar a sensação de luminosidade.

Adequação
Nem sempre a luz branca é incompatível com o quarto. A região do país onde você mora (e o clima) tem grande importância. Como lembra Luciana Constantin, “na escolha da tonalidade da luz, amarelada ou branca, quem mora nas regiões Sul e Sudeste deve preferir as lâmpadas amareladas, pois deixam os ambientes aconchegantes e proporcionam a sensação de que estão mais aquecidos. Já nas regiões Norte e Nordeste, onde o calor é intenso na maior parte o ano, as lâmpadas brancas, também chamadas de ‘frias’, passam uma idéia de refrescamento e amenizam o calor.”

Fonte: http://casa.ig.com.br/noticia/2008/08/11/deixe_seu_quarto_mais_aconchegante_1500278.html




Brasileiro experimenta troca de casas

23 07 2008

O costume de “trocar de casa” com outra pessoa é mais conhecido no exterior, quando pessoas desejam passar férias, temporada ou um simples final de semana em outro lugar. E este hábito caiu no gosto de alguns brasileiros.

Uma reportagem do jornal O Estado de S.Paulo do dia 6 de julho, destacou o assunto e trouxe o exemplo do engenheiro paulistano João Afonso Alberdoni. Cadastrado num site de troca de casas há sete meses, contou de sua viagem para a cidade de Nantes, na França. Ele foi atrás de um quarto e sala simples para estudar francês na França e acabou parando em um château digno de filmes. É que começou a trocar e-mails com um empresário Francês, cadastrado no mesmo site, que precisava trabalhar em São Paulo por um curto período.

Negócio fechado. Ele foi para um castelo e o empresário veio para um apartamento na Vila Madalena.

O site americano HomeExchange, o mais conhecido sobre o assunto, conta com mais de 300 mil pessoas do mundo inteiro.

Os interessados preenchem um cadastro e pagam a inscrição que varia de R$ 100 a R$ 300 reais e podem começar a procurar um lugar que deseja conhecer ou rever, mas claro, é necessário que o usuário ofereça sua casa também, afinal é uma troca.





B&O Lab – Design Dinamarquês

25 06 2008

A  é uma empresa diferenciada e ímpar.

Comumente conhecida como B&O, ela se destaca não só pelos produtos de áudio e vídeo com design único e exclusivo, mas pela maneira como eles são idealizados e produzidos.

O time de designers desta empresa dinamarquesa é liderado por David Lewis, um inglês de 69 anos que está à frente da equipe há cerca de 20 anos, e é repsonsável por alguns de seus mais conhecidos produtos.

O curioso é que ele, assim como todo o restante do time não trabalha na empresa. Ou seja, todos trabalham remotamente, porém de maneira muito integrada e focados na inovação do design em seus produtos.

Assim, todos os projetos de novos produtos são enviados para a B&O via web, diretamente para o time de engenheiros, que tem a principal função de descobrir como irão acoplar os dispositivos eletrônicos (como falantes, twiters, botões, telas, placas, entre outras) no corpo projetado pelos designers.

Veja esta estrevista que David concedeu ao The Wall Street Journal, onde ele conta com detalhes como funciona este e outras características deste processo:
http://online.wsj.com/article/SB121372804603481659.html?mod=2_1585_leftbox

E por falar em inovação, o produto que me chamou a atenção para conhecer esta empresa e produzir este post foi o Beolab 5, um moderno sistema de som stereo que é composto por uma série de falantes, twiters, entre outros componentes, gerando assim uma experiência única para o usuário.

Olhando assim por cima, a primeira impressão que tive é que o Beolab 5 me lembra um totem japonês, algo como um samurai. Ele pode produzir som stereo com frequência de 20Hz a 20000Hz.

Para acessar o site da B&O, e conhecer melhor toda a linha de produtos desta empresa, basta clicar na imagem abaixo, ou então acesse a URL a seguir e conheça diretamente o Beolab 5: http://www.bang-olufsen.com/page.asp?id=40

Observação: a B&O tem lojas e escritórios de representação no Brasil, sim, nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Confira os detalhes no site.





Embratel terá WiMAX residencial em 2008

17 06 2008

SÃO PAULO – A Embratel terá a tecnologia WiMAX em residências brasileiras no início do ano que vem.

A notícia foi dada por Maurício Vergani, diretor-executivo da Embratel Empresas, durante o seminário Internet Móvel Mobilidade ao Alcance do seu Negócio, que ocorre nesta segunda-feira (16), promovido pela INFO.

A operadora já oferece a conexão WiMAX para pequenas e médias empresas no Brasil e seguirá a estratégia da Telmex – controladora da Embratel – que provê acesso a banda larga sem fio em residências no México.

Sem dar mais detalhes de como serão os planos, a operadora irá focar a sua oferta onde a internet a cabo não chega ou em locais que com condições desfavoráveis para a infra-estrutura de cabos – como ocorre em prédios muito antigos.

O anúncio casa com a intenção da Intel de trazer os primeiros notebooks para o Brasil com o WiMAX integrado à plataforma Montevina no início de 2009. No entanto, tanto a Embratel como a Intel terão de esperar o leilão das freqüências do WiMAX por parte da Anatel para oferecer o acesso totalmente móvel. Atualmente, a conexão só pode ser feita entra a antena e um ponto fixo (CPE), como se fosse um Wi-Fi de longo alcance.

Fonte: INFO Online





Sony XEL-1: o primeiro TV OLED do mundo

14 05 2008

Na URL a seguir gostaria de apresentar um teste que foi realizado no primeiro televisor do tipo OLED do mundo: http://revistahometheater.uol.com.br/site/tec_testes_02.php?id_lista_foto=233

Começa assim a reportagem:

“Eles foram a grande sensação da CES 2008 (Consumer Electronics Show), feira que acontece todos os anos em Las Vegas. Apesar de novos no mercado, os TVs OLED (de Organic Light-Emitting Diode/Diodo Orgânico Emissor de Luz), tornaram-se a bola da vez no segmento de telas finas, principalmente por consumirem menos energia e apresentarem poucos milímetros de espessura, deixando para trás plasmas e LCDs. A seguir, você confere o teste exclusivo do TV Sony XEL-1, de 11”, o primeiro modelo OLED vendido comercialmente no mundo, que chegou às lojas do Japão no final de 2007 e, agora, começou a ser vendido nos EUA.”

Quem quiser acompanhar o teste por completo, basta acessar:

http://revistahometheater.uol.com.br/site/tec_testes_02.php?id_lista_foto=233