Adesivo pra quê?

8 08 2008

Clique para ampliar...

Pra quem adoraria adesivar a parede de casa mas tem receio de enjoar do desenho, ou estragar a parede, eis uma solução que tudo bem vai, só funciona no escuro, mas que é mais do que prática e barata, que inclusive abre possibilidade para renovar a estampa, além do que pode deixa sua noite mais relaxada ou apimentada 🙂

Essa base de vela é vendida na A+R Store por U$ 48.00. Eles não vendem direto para o Brasil, mas no site existe um email para contato criado especialmente para esclarecer duvidas sobre despacho de mercadorias mundo a fora.

Pra quem não quer arriscar comprar num site gringo, dá para fazer um modelo parecido em casa tranquilamente. Só tenha cuidado com a distância entre o fogo e o material que você escolher.

Anúncios




Sites DIY

27 06 2008

Dois sites que conheci estes dias, e que gostei muito pela clareza e facilidade em entender os projetos, são o Instructables (http://www.instructables.com) e o Buildazy (http://www.buildeazy.com). Vale apena conferir!





Projeto de rede Wi-fi

20 06 2008

Recentemente eu tive que arquitentar uma rede de computadores, cuja função era unificar os equipamentos de dois estabelecimentos comerciais na mesma avenida, um de frente para o outro em lados opostos (literalmente!).

Visão macro da rede 

Trata-se de duas lojas de roupas, sendo uma de roupa infantil (Sivesti Moda Jovem) e uma de roupa para adultos masculino e feminio (Vitrine Multimarcas). O proprietário deseja automatizar as duas lojas, utilizando assim um mesmo sistema de automação e um estoque unificado.

A principal dúvida surgida nem foi quanto aos computadores e equipamentos em si, mas justamente quanto à topologia e quanto à tecnologia que seria empregada: wired ou wireless ?

As redes corporativas que conhecemos até então são redes wired, ou seja, são redes que interligam os computadores através de cabos de rede. Mas a tendência hoje em dia é ser wireless, ou seja, redes sem fio.

Mas o maior problema das redes wireless é a instabilidade do sinal na maioria dos casos, causando perda de qualidade e as vezes queda da velocidade de conexão. Equipamentos ainda a preços altos e questões de  vulnerabilidade e segurança também atrapalham um pouco a escolha desta modalidade.

O que não há o que discutir é a sua praticidade de instalação, operação, e principalmente, mobilidade. E como para o caso deste projeto, onde o proprietário deseja não fazer quebra-quebra, passar fios (fixando assim os locais dos computadores), e principalmente interligar as duas lojas, optamos por um projeto 100% wireless mesmo.

Então neste diagrama abaixo há uma breve descrição do ambiente que existe entre as duas lojas.

Por enquanto, o que foi feito foi apenas um esboço. O próximo passo será definir a marca dos equipamentos de rede que será utilizado.

A busca será concentrada em equipamentos com um bom custo-benefício, mas também uma marca confiável e de boa qualidade. Afinal, perder sinal em ambiente corporativo é uma situação comprometedora. O sistema que rodará nas duas lojas em momento nenhum poderá sair do ar.

Veja abaixo a topologia que foi desenhada, afim de interligar as duas lojas. Clique na imagem para vê-la ampliada.

Com a tecnologia que existe hoje e com a certeza de que existem bons equipamentos disponíveis, temos certeza de que esta será um modelo de rede bem dimensionada e estável depois de funcionando. O resto, nada que um software bem configurado e seguro não resolva!

Fiquem à vontade para tecer comentários, críticas e sugestões.





Privada e Lavatório ?

15 05 2008

Dizem que isso existe no japão.

Faz sentido, já que lá é tudo em versão miniatura, com uma enorme crise de falta de espaço.





Cadê minha vassourinha?

16 04 2008

Que a zona lá em casa está tamanha todos imaginam. Muito pó, muita sujeira.

Todo santo dia eu tenho que varrer o chão praticamente, recolher o resto de sujeira que foi produzida no dia.

E o meu maior problema, para os meus quase 2 metros de altura, é na hora de abaixar para pegar o pó com a pazinha, que é daquele modelo de cabo curto.

A maior dificuldade que encontro é em manejar a vassoura, quando agachado, tendo que segurá-la pela base. É muito dificil… ela fica balançando, não há firmeza, e muitas vezes a sujeira entra tão mal na pá que passa direto, espirra para os lados, e por aí vai.

E eu sei que existem mini-vassouras no mercado. Não sei qual sua real utilidade, mas eu pensei que elas pudessem ser utilizadas assim:

1. Você varre o chão com a vassoura normal e junta a sujeira num canto.
2. Ao agachar para pegar a sujeira com uma pazinha, utiliza uma mini-vassoura para empurrar a sujeira para dentro da pá, muito mais fácil.
3. Para as pessoas que têm problema nas costas, talvez um banquinho de até 30cm de altura seja muito util nestas horas.

Então, eis que me pus na web para procurar algo neste sentido. Sei lá, talvez um produto de mercado em forma de kit, contendo uma mini-vassoura, uma pazinha, e um banquinho. Talvez pudesse até vir com uma vassoura tamanho normal para compor tal kit.

Bom, tudo bem que tem gente que prefere usar aquelas pás com cabo longo, para não ter que agachar. Mas nem sempre isso é o mais comum… eis que surgem as dores nas costas, o mal-jeito, e por aí vai.

Então encontrei estes modelos de vassouras muito interessantes:

Acima, uma boa idéia do designer Wilson Song: uma vassoura que aspira a sujeira mais fina através de suas cerdas enquanto varre a parte mais grossa.

Acima é uma multi-vassoura, para varrer mais de um degrau ao mesmo tempo.

Com o assunto “planeta sustentável” tão à moda, vale apena pensar em algo feito com PET, não?

Bom… existem vários outros modelos disponíveis na web. Mas o intuito deste post na verdade, acredito que seja para aguçar um pouco a mente de designers e inventores para planejar e criar o tal “kit”.

Eu seria uma pessoa a comprar um destes! E ainda se ficar lindão, ainda faço uma bela de uma propaganda.





Instalação de spot e extensão

14 04 2008

Para realizar a instalação de spots de embutir no gesso, o processo é bem simples. Porém, pode complicar um pouquinho quando há necessidade de se criar uma extensão ligando um pouco de eletricidade ao outro por cima do gesso.

Essa ligação é chamada de ligação em série, e o principal intuito desta ligação é para que, quando o interruptor for acionado, mais de um ponto de luz seja ligado ao mesmo tempo.

A instalação que será realizada é de 2 spots para lâmpadas do tipo mini-dicróica, de 12 volts. E no meu caso, eu tenho apenas um ponto com fiação elétrica preparada, onde preciso estender o fio para o outro ponto, mostrado na imagem abaixo.

Antes de começar com a instalação, confira na imagem abaixo (indicado pelos pontos na cor magenta) os materiais e equipamentos necessários para a realização do serviço:

Na ordem, da esquerda para a direita, temos:

1. Alicate de bico e de corte.
2. Fita isolante (preta).
3. Spot para mini-dicróica que será utilizado (no caso, 2).
4. Tester de voltagem.
5. Lâmpada mini-dicróica (no caso, 2).
6. Transformador de 127v para 12v e 50w (no caso, 2, sendo 1 para cada spot).
7. 2m de fio rígido aproximadamente.
8. Cabo flexível para a extensão.

A primeira coisa a se fazer é certificar-se de que o interruptor não esteja acionado, assim você evita tomar um choque. Para isso, encoste o tester nos 2 polos do fio. Se a luz NÃO acender, é porque o interruptor está desligado. Já se ela se acender, basta desligá-lo e continuar com a instalação.

 

Depois do interruptor desligado, você poderá tocar nos 2 fios sem problema algum, e descascá-los. Isso se o seu eletricista tiver feito o certo, que é levar para a lâmpada apenas o fio neutro e o retorno. A fase sempre vai no interruptor.

Faça então a extensão, ligando 2 cabos flexíveis no tamanho correspondente à distância entre os 2 pontos de iluminação (furos), sendo cada pedaço de cabo ligado em um dos fios da instalação elétrica que já existe. Lembre-se de utilizar a fita isolante de forma adequada, isolando muito bem as conexões de fios descascados que você estiver fazendo. Isso evitará curto-circuitos indesejados, além de acidentes maiores como incêndios.

 

Ligue a ponta da extensão que foi criada numa ponta do cabo rígido. A função do cabo rígido é guiar a extensão por cima do gesso, até que ele alcance o outro furo onde será instalado o segundo spot.

Ligue então um furo ao outro, guiando o cabo rígido por cima do gesso.

Dependendo da instalação elétrica que foi feita, e do acabamento dado pelo gesseiro por cima do forro, a simples tarefa de passar o cabo rígido de um ponto ao outro pode se tornar muito complicada.

No meu caso, acúmulo de massa e gesso impediam a passagem do cabo rígido de uma só vez. Então eu tive que realizar algumas “intervenções cirúrgicas” com foto e tudo, para caçar o cabo de um ponto ao outro. No final acabou dando certo.

Depois de atingido o outro furo com o cabo rígido, basta puxar a extensão para o outro ponto.

Realize então a instalação do tranformador no fio que sai pelo furo 1. E no tranformador, instale então o spot que será utilizado. Lembrando que é MUITO importante o isolamento completo de todo fio descascado, utilizando-se de fita isolante.

Dica: conecte primeiro o transformador no spot em uma superficie plana, para depois você instalar o transformador + spot de uma só vez no teto. Isso pode evitar torcicólos desnecessários, pois não terá que ficar olhando tanto para cima com os braços levantados, evitando assim também possíveis quedas.

 

Depois disto, basta inserir com cuidado, para não embolar, amassar ou cortar, os fios mais o tranformador para cima do gesso, pelo furo.

Faça a instalação do spot no teto. Cada modelo de spot possui um sistema de fixação diferente, verifique como é que funciona para o seu spot. E o acabamento final fica assim:

Depois basta repetir o processo de instalação do segundo spot, para o outro furo. Assim, depois de pronto, os 2 spots no ambiente ficam com essa cara:

Espero que você tenha gostado. E se você tiver qualquer dúvida, crítica ou observação que queira fazer, deixe um comentário que eu terei o maior prazer em ler e responder.





Acabamento para portas, janelas e cantos

9 04 2008

Talvez meus leitores não tenham visitado o site da JSA Madeiras que eu indiquei em um dos meus pots.

Então eu achei mais legal ir direto ao assunto e disponibilizar aqui uma das linhas de produtos, nomenclatura, e utilização das partes que eles são especialistas e comercializam em sua loja na Rua Paes Leme, em Pinheiros.

A imagem abaixo foi retirada do site, que é em flash e muito legal para navegar, pois ao passar o mouse nos elementos da foto, o site cria uns efeitos do tipo high-light que deixa a navegação mais intuitiva e prazerosa.

No caso da reforma que está sendo realizada (RAPÊ), foram utilizadas guarnições, rodapés e sócolos.

Uma observação que eu faço é que no item 8, moldura de porta refere-se àqueles filetes que são pregados na porta lisa para dar um acabamento diferenciado. Alguns acabamentos de portas são mais robustos, como relevos e rebaixos. E neste caso, o nome comumente dado para isso no mercado é “almofada”.

O sita da JSA Madeiras para quem não pegou é: www.jsamadeiras.com.br