Dicas de iluminação para seu quarto

13 08 2008
Por: Inês Godinho e Gui Marchezi Odri

O quarto está lindo, recém-decorado, mas não dá vontade de ficar nele? Esta situação é mais comum do que parece porque muita gente esquece que o ambiente mais íntimo da casa não pode ter a mesma solução de luz da sala, por exemplo. Quartos são locais para descansar, sonhar e amar. Criar uma atmosfera relaxada, cálida e luminosa depende mais de seguir algumas regras básicas do que investir em peças caras e soluções mirabolantes.   

Veja o primeiro cuidado apontado pela designer de iluminação, Luciana Constantin, da consultoria de iluminação Acenda. Ela recomenda avaliar quais são as limitações do ambiente antes de tomar providências. Questões como a altura do pé-direito, o tipo de forro (gesso, laje, madeira, inclinado…), a infra-estrutura de elétrica prevista, as cores e texturas dos materiais de acabamento precisam ser avaliadas em conjunto. Em seguida, se define o perfil de quem vai ocupar aquele espaço e quais são seus hábitos – namorar, ler, ver televisão, trocar de roupa e até trabalhar.   

Confira as situações que se adaptam a sua necessidade:

• A  iluminação geral do quarto deve ser indireta, embutida ou de sobrepor, obtida com o uso de sancas ‘invertidas’, pendentes, arandelas, luminárias de piso (chamadas de tocheiros). Eles direcionam o foco para teto e paredes e, por reflexão, iluminam o quarto com uma luz suave e difusa.

• A luz indireta também é a mais apropriada para se obter uma iluminação uniforme, pois se ajusta às diversas atividades.

• Evite no quarto a luz direta; mal-posicionada, pode causar um ofuscamento indesejado.

• Para evitar brigas de casal por causa das diferenças de hábitos, saiba que há luminárias laterais com foco direcionado perfeitas para quem gosta de ler na cama.

• Luz fluorescente branca não combina com o clima cálido que um quarto precisa ter; prefira as amarelas.

• O mesmo vale para cúpulas; as melhores são em tecido de cor clara, combinando com algum elemento da decoração, ou totalmente neutra como as de tom areia.

• Cuidado com a emissão de calor das fontes de luz utilizadas em abajures e luminárias de leitura para as cabeceiras.

• Com os quartos pequenos de hoje, ganhe espaço na mesinha de cabeceira instalando luminárias presas na parede.

• As áreas de estudo e trabalho precisam de uma luz complementar, com focos mais direcionados.

• Diferentes atividades no quarto recomendam o uso de dimmer, mecanismo que permite ao usuário o controle manual da intensidade da luz.

• Assuma o comando da luz do seu quarto. Para ligar abajures e luminárias de piso, instale tomadas comandadas, que são acionadas pelos interruptores localizados na entrada do quarto e nas cabeceiras. Isso possibilita a diminuição dos pontos de luz no teto e a integração das peças decorativas ao longo do dia, não só na hora de dormir.

• Se há espaço para uma poltrona de leitura, posicione perto de uma janela para aproveitar ao máximo a luz natural. E providencie uma boa fonte luz artificial, com foco pontual.

• Truque da ampliação de espaço e luz – aproveita a mágica do espelho e instale-o de forma a duplicar a sensação de luminosidade.

Adequação
Nem sempre a luz branca é incompatível com o quarto. A região do país onde você mora (e o clima) tem grande importância. Como lembra Luciana Constantin, “na escolha da tonalidade da luz, amarelada ou branca, quem mora nas regiões Sul e Sudeste deve preferir as lâmpadas amareladas, pois deixam os ambientes aconchegantes e proporcionam a sensação de que estão mais aquecidos. Já nas regiões Norte e Nordeste, onde o calor é intenso na maior parte o ano, as lâmpadas brancas, também chamadas de ‘frias’, passam uma idéia de refrescamento e amenizam o calor.”

Fonte: http://casa.ig.com.br/noticia/2008/08/11/deixe_seu_quarto_mais_aconchegante_1500278.html
Anúncios




RAPÊ – Etapa 3 – Reforma elétrica

8 04 2008

A reforma elétrica que foi feita no apartamento previu basicamente a instalação de pontos adicionais, pontos paralelos, e preparação para integração de home-theater com som ambiente no quarto do casal e na sala.

Para isso, um projeto inicial foi feito para se ter idéia dos pontos que deveriam ter sido criados e alterados. Abaixo está o projeto inicial, o qual na verdade passou por algumas adaptações até chegar no resultado final.

Projeto inicial de reforma elétrica

No projeto inicial estava prevista a instalação de ventiladores de teto no quarto do casal e na sala, no entanto, por se tratar de gesso no teto, e considerando assim o rebaixo de pelo menos 15cm deste mesmo, foi abortada a idéia de se instalar os ventiladores.

Outra coisa que foi modificada no projeto inicial foi a opção de pontos de iluminação. Ao invés de se utilizar um lustre ou ponto central, foi privilegiado o uso de apenas spots no teto, com o aumento dos controles nas paredes de forma que se pudesse criar diversos ambientes de iluminação.

Em posts seguintes será apresentado o projeto do gesso e sanca, onde será possível verificar os pontos que foram criados realmente.

De maneira resumida, a etapa da reforma elétrica queria, com todas estas modificações elétricas, o seguinte:

1. Criar ponto de TV no quarto do casal, com antena e preparação de som integrada com a sala na parede oposta da cama, inclusive com instalação de caixas de som do tipo “arandela” no teto, na região da cabeceira da cama.
2. Criar pontos paralelos na cabeceira da cama, de modo que se pudesse acender e pagar luzes sem ter que levantar.
3. Instalação de pendentes dimerizáveis na cabeceira da cama controlados pelos paralelos que foram instalados, de modo a criar iluminação individualizada.
4. Instalação de 3 pontos de iluminação do tipo mini-dicróica com controle independente direcionado para o guarda-roupas.
5. Distribuição da iluminação principal com o uso de 4 pontos de luz, sem ponto de iluminação em cima da cama mas apenas na região de corredores.
6. Criação de ponto de iluminação no hall dos quartos.
7. Instalação de ponto de TV, telefone, e home-theater integrado com o quarto na sala maior, que será a de TV.
8. Instalação de 2 caixas de som do tipo arandela, embutidas no teto em cima da região do sofá.
9. Criação de 3 pontos de iluminação para a sala de TV, sendo um ponto em cima do local da TV, 1 ponto dimerizável em cima do local do sofá, e 1 ponto central.
10. Criação de 2 pontos de iluminação para a sala de jantar, que agora fica próximo à sacada, sendo 1 ponto distribuido nas laterais utilizando-se de spots direcionáveis, e 1 ponto dimerizável na região central da sala (posicionado em cima da mesa de jantar).
11. Divisão do ponto de iluminação do corredor de entrada em 3 spots, com criação de ponto paralelo na sala de TV.
12. Instalação de caixa 4×4 para controle independente para a sala de jantar, controlando os 2 pontosd a sala mais a iluminação da sacada.
13. Instalação de caixa 4×4 para controle paralelo da iluminação central da sala de TV e para controle dos outros 2 pontos de iluminação (spots) desta sala.
14. Correção de problema de iluminação no banheiro de empregada, que antes a luz era ligada em conjunto com a luz da área de serviço. Hoje o interruptor do banheiro controla a luz deste banheiro de maneira independente.
15. Instalação de ponto de 220v para aquecedor elétrico na pia do banheiro social.

Para a realização desta etapa foram contradadas a mão de obra de pedreiro e eletricista.

O eletricista foi consultado para dizer o melhor caminho para os conduites serem instalados e para quantificar o material a ser comprado. Assim, com o projeto em mãos, a parede foi riscada para demarcação das novas caixas, pontos e passagem dos conduites.

O material foi comprado e o pedreiro pôde iniciar sua atividade.

Foram realizados diversos rasgos na parede, nos locais onde seriam instalados os pontos, e os conduites foram direcionados para o teto. No teto não foi feito nenhum rasgo, até porque isso não é indicado por se tratar de laje. E como o teto seria depois recoberto com o rebaixo do gesso, então os conduites ficaram expostos e presos por abraçadeiras.

O pedreiro instalou as caixas 4×2, 4×4, conduites e abraçadeiras. Depois chumbou os rasgos e deu acabamento com massa corrida. Veja nas fotos abaixo como ficou a instalação.

Fotos 1 e 2:  Pontos centrais na sala de TV e jantar.

Fotos 3 e 4: Caixas adicionais nas duas salas, com destaque para a iluminação criada no hall dos quartos.

Foto 5: Ponto novo para TV e home-theater centralizado, e centro da sala de TV.

 
 

Fotos 6, 7, 8 e 9: Instalações novas no quarto, com destaque para os parelelos na cabeceira da cama, e da preparação para a TV.

Por último, o eletricista compareceu até a obra para fazer a passagem dos fios e cabos para eletricidade, telefone, antena, audio e video.

Os cabos de som foram passados em conduites distintos daqueles que foram passados os fios para eletricidade. Isso é feito para que não haja interferência e assim não se corre o risco de perda de qualidade. O mesmo foi feito pelos cabos de antena e telefone, que também foram passados por conduítes em separado.

Abaixo são apresentadas algumas fotos da etapa 3 concluida:

Etapa 3: realizada entre a segunda metade de fevereiro e o dia 10 de março de 2008.
Gastos: R$ 2000 aproximadamente, entre material e mão de obra especializada.